BPMS e ERP

Por Luis Bender, ProcessMind

As modernas e inovadoras ferramentas disponíveis hoje para automação de processos, os Business Process Management Systems (BPMSs), são complementares às ferramentas de Enterprise Resource Planning (ERPs) tradicionais que a maioria das empresas já implantou ou está planejando implantar. As duas competem, é claro, pelo orçamento das empresas, porém são funcionalmente bastante diferentes e tem objetivos distintos.

Enquanto os ERPs são adequados para automatizar principalmente os processos de apoio de uma organização, os BPMSs são os melhores pilares da automação dos processos principais da empresa, processos esses que são únicos da organização e responsáveis em boa parte por seu diferencial competitivo. Com essa abordagem, temos um ganho também em flexibilidade e agilidade para a empresa, que é capaz de modificar seus processos com rapidez e custo adequados, o que é essencial para garantir a competitividade no mercado em que atua e até alcançar novos mercados com produtos e serviços inovadores.

Temos visto constantes tentativas desastrosas de automatizar os processos principais de uma empresa através de extensa customização de ERPs, o que tem se provado extremamente oneroso e pouco efetivo a curto, médio e longo prazos. Os processos ficam congelados numa determinada situação, embutidos nos sistemas que o automatizam e qualquer alteração, por mais essencial que seja para a empresa, consome recursos e tempo muito grandes, diminuindo a competitividade da organização no mercado em que atua. Lançar um produto ou serviço novo, então, se torna tarefa das mais complexas pela dificuldade de suporte computacional adequado.

Não por acaso, os principais fornecedores de ERP (SAP e Oracle) estão reestruturando a arquitetura de seus produtos, transformando-os em process applications sobre seus próprios BPMSs (SAP NetWeaver e Oracle BPEL Process Manager). O objetivo é possibilitar flexibilidade para, finalmente, o software se adaptar ao processo e não o contrário, como acontece hoje. Mas o quanto essa visão será implementada na prática, temos que esperar para ver. Outra questão importante é avaliar se é estratégico para uma empresa utilizar o BPMS do fornecedor de ERP em sua infra-estrutura. A princípio, me parece que não. Mas isso é assunto para um próximo post.

Publicado em BPM, BPMS. 2 Comments »

2 Respostas to “BPMS e ERP”

  1. Rodney Repullo Says:

    Bender,

    Parabens pelo artigo. Objetivo e direto ao ponto.

    Destaco apenas um problema crônico que encontramos com o alto nível de customização dos ERPs que é a quase impossibilidade de atualização de versão, devido a necessidade de customizar tudo novamente. O custo e o stress gerado por esse fato normalmente faz com que os clientes nesse momento avaliem outros sistemas e acabam por fazer a troca.

    Ou seja, o esforço iniciado pela SAP e ORACLE, tem tb um motivador claro que é a retenção de seus clientes, evitando-se essa situação.

    Rodney Antonio Repullo
    rodney@repullo.com.br
    http://www.magicsoftwarebrasil.com.br

  2. Arnaldo Says:

    Estou desenvolvendo o meu TCC com o assunto ERP, mas gostaria de alinhar ao assunto a importância de uma ferramenta BPMS para apoio a implantação do ERP, por isso gostaria de conselhos para desenvolver da melhor forma esta atividade.
    Obrigado
    arnaldoinfo@gmail.com


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: